Após manifestações, enfermagem tocantinense decide por estado de greve

16/09/2022 16/09/2022 09:06 358 visualizações

Nesta quinta-feira (15), em Palmas e após a realização das manifestações nas cidades de Araguaína no dia 13 e em Gurupi no dia 14, todas coordenadas pelos sindicatos SEET, SINTRAS E SETO, que seguem unidos na busca dos direitos e garantias do novo piso salarial dos trabalhadores na área da saúde.

Também há de se ressaltar, que em assembleia, logo depois da manifestação, os profissionais da enfermagem aprovaram Estado de Greve e a paralização de 24 horas no dia 21 deste mês, obedecendo os ditames da Lei7.783/89.

Outro detalhe a ser destacado foi a atitude dos secretários de Estado da Saúde, Afonso Piva, da Administração Paulo Cesar Benfica Filho e da Casa Civil, Deoclecinano Gomes, que receberam uma comissão formada pelos representantes sindicais, João Batista, Manoel Miranda e Xenia Pollyana. Destaca-se também a presença do conselheiro do Coren-TO, Adeilson José dos Reis.

De acordo com o presidente do SEET, João Batista Alves das Neves, a reunião foi muito produtiva, pois, as informações recebidas vêm de encontro às necessidades da classe. “Recebemos informações de que o Governo do Tocantins, está preparado para cumprir com o novo piso salarial, inclusive com os estudos dos impactos já concluídos”. “E sobre os passivos, formos informados de que o Governo segue buscando um parceiro financeiro que ofereça taxas mais atraentes, mais baixas para os servidores”, concluiu.

O SEET ainda protocolou um documento, informando ao Governo do Estado, sobre a paralização do próximo dia 21 e comunicação de greve.

 

Motivo das manifestações

A ação foi motiva pela liminar que suspendeu por 60 dias a implantação do piso salarial da enfermagem, do Ministro do Supremo Tribunal Federal, Luis Roberto Barroso, e que, foi confirmada pela maioria do pleno do STF.

 

Por Ascom SEET