SEET oficializou o secretário da Saúde sobre as denúncias do Hospital Regional de Araguaína

12/12/2018 22/01/2019 17:17 426 visualizações

Por: Eriks Jhônata

 

O Sindicato dos Profissionais da Enfermagem no Estado do Tocantins (SEET) nesta última quarta-feira, 12, oficializou o secretário de Estado da Saúde, Renato Jayme, com cópia para o Ministério Público do Estado do Tocantins, com relação as denúncias sobre a falta de materiais hospitalares no Hospital Regional de Araguaína (HRA).

O documento foi protocolado após denúncias e relatos de profissionais da enfermagem que laboram no HRA mencionandoa falta de materiais básicos, entre os quais se destacam a falta de luvas, medicações, insumos, equipamentos de proteção individual indispensável na rotina hospitalar, dentre outros.

O oficio reitera ainda, que, o direito à saúde por ser diretamente ligado ao maior dos princípios que regem todo o ordenamento jurídico próprio; o que qualifica o direito à saúde como o principal direito fundamental social expresso em nossa constituição. Assim fazendo jus a tratamento especial para que seja assegurado tal direito. O Sindicato então considera que a ausência desses direitos configuram lesão ao direto à saúde.

Segundo o presidente da Regional do SEET em Araguaína, Paulo Maria Batista, diante do exposto, foi solicitado urgência na resolução das demandas apontadas. “Diante das denúncias com a falta de materiais o sindicato está cobrando das competências que tem a responsabilidade de resolver os problemas e gerir a saúde pública do Estado, para que o hospital possa atender com as melhores condições possíveis respeitando os usuários e servidores da rede pública de saúde, esperamos que esse assunto seja resolvido o mais rápido possível”, esclarece.

Ainda de acordo com o presidente da regional, a atual situação do HRA é complicada, além dos materiais, foi registrado outras reivindicações. “Nos deparamos com várias denúncias, como superlotação, acúmulo de função, sobrecarga de trabalho, dentre outras. Estaremos encaminhando as demandas ao Conselho Regional de Enfermagem do Tocantins, que é o órgão competente”, afirma.