SEET cobra do Governo segurança no Hospital Regional de Xambioá

25/06/2019 08/07/2019 08:46 261 visualizações

O Sindicato dos Profissionais de Enfermagem no Estado do Tocantins (SEET) oficializou nesta terça-feira, 25, o Secretário de Saúde do Estado, Luiz Edgar Leão Tolin quantos as demandas dos profissionais da Enfermagem do Hospital Regional do município de Xambioá.

A equipe do Sindicato realizou visita técnica no Hospital Regional do município no dia 21 de junho e colheu relatos dos profissionais que laboram na unidade, que ficou constatado a falta de segurança no hospital e por esse motivo tem ocorrido uma série de invasões e ameaças aos funcionários do Hospital, em especial, da Enfermagem durante os plantões. São diversos relatos de profissionais que sofreram ameaça de morte, flagrantes de pessoas com armas “brancas” dentro da Unidade, pequenos furtos e discursões. O Sindicato já denunciou já conselho Estadual de Saúde essa falta de segurança nos Hospitais e Unidades de Saúde.

Com isto, o SEET solicitou a imediata intervenção do Estado no sentido de proporcionar a segurança aos profissionais da Enfermagem, funcionários do Hospital e pacientes da Unidade de Saúde. Segundo o presidente do SEET, Claudean Pereira Lima, a segurança deveria ser uma das prioridades do Estado quanto se trata de ameaça de morte aos seus servidores. “Também observamos a falta de repouso adequado para os plantonistas, a falta de concessão de direitos como Progressões, pagamento de adicionais para contratados, subdimensionamento de pessoal e falta de medicamentos”, ressalta.

Ainda de acordo com o presidente do Sindicato, a prioridade é a segurança dos profissionais da enfermagem, que estão correndo risco de vida devido a facilidade da criminalidade naquela região. “O Sindicato se manterá na luta para defender seus filiados e trazer segurança para as unidades de saúde do estado, é importante salientar que caso venha ocorrer qualquer acontecimento grave de ameaça ou agressão, as vítimas devem imediatamente procurar a polícia para registrar o ocorrido”, afirma.